Pólen



Dentro da tarde
Este vento fresco traz
Um pólen que germina em meu rosto
Figuras tácidas de flores audazes

Se caio entre as horas do meu relógio
Contemplando o tempo se despindo
Vejo apenas dois confusos ponteiros
Indicando o teu certeiro caminho

Na música que aqui me encanta
Acordes que levitam
O corpo febril flutua
Sublime como a garça sobre a lagoa
Voando alto entre as tuas sobrancelhas.

Naquele Rio




Este  Rio
Corpo, leito e  fluxo
Correndo apressado
Em busca  de  seu  destino.

O  deslizar  de  suas  águas
Quando  abandona  um  lugar
Deixa algo para  trás,
 Aromas
 Memórias
 Vida.

Apesar de  ter  partido,
Permanece  lá,
Algo  daquele  Rio
Algo  de  mim
Permanece  lá.

Há em nós, coisas, emoções 
Que  somente  encontraremos 
Ao  voltar.

Naquele  Rio.
Related Posts with Thumbnails