Feliz Tempo Novo




Observo, encostada na soleira da porta
Toda a vida apressada passar
Lá vejo pessoas, ouço vozes
Amigos, amores, lembranças
Todos passam e vão-se embora
É necessário ir!
O que se há de fazer?

Junto deles passam os anos
Inquietudes de adolescente
Dúvidas da juventude
Algodão doce, irresponsabilidade
Passam apressados sem saber

A sabedoria está em aceitar o fim
Talvez esta seja a mais árdua e pesada...
Mas depois do fim
Um novo começo, sempre!

Lá vem a brisa de um novo tempo
Despontando no horizonte
Já posso sentir seu frescor
Tocando meus cabelos

Junto a mim somente o AGORA
Abro os braços e deixo escapar
Livre como um pássaro, todo o passado, outrora

Vão-se sonhos abandonados,
Objetos quebrados, papéis rasgados
Nada mais é preciso ficar
Tudo passa e vai embora
O que se há de fazer?

Assisto a tudo e posso crer
O Tempo sabe muito mais do que todos nós
Para que desobedecer?

4 comentários:

José María Souza Costa disse...

Fenomenal


CONVITE

Primeiro, eu vim ler o seu blogue.
Agora, estou lhe convidando a visitar o meu, e se possivel seguirmos juntos por eles. O meu blogue, é muito simples. Mas, leve e dinamico. Palpitamos sobre quase tudo, diversificamos as idéias. mas, o que vale mesmo, é a amizade que fizermos.
Estarei grato, esperando VOCÊ, lá.

Abraços do
http://josemariacostaescreveu.blogspot.com

Isabel José António disse...

Querida Amiga Maria Tegina,

Vim lhe fazer uma visita e fiquei emocionado com a beleza do seu poema. Muitos parabéns do coração.

E para que este ano de 2012 lhe possa correr bem, também aqui lhe deixo uma pequena prenda minha para a acompanhar durante estes doze meses, incluindo este:

Falas de felicidade e de amor
De conversas inacabadas ao luar
Queres,precisas do odor da flor
Sentir vida, a Natureza a pulsar

Sentes que todos somos só UM
Diferentes apenas em pormenores
Há que procurar o que é comum
E construir uma teia de amores

Vive cada momento saboreando-o
Sente como se fosses o centro
A magia do Divino encontrando-O
Pois tudo está em ti, bem dentro

Olha à tua volta não estás só
O pó das estrelas está em ti
Para quê o desespero a meter dó
Se podes ser feliz agora e aqui?

Partilha tudo o que tiveres e dá
De ti a entrega, a Luz, a paixão
Sente que a Grande Vida é que dá
Tudo o que te aquece o coração

Em todas as horas e momentos
Há alguém que está presente
Fazendo dos minutos portentos
E a Vida inteira se pressente

Entrega-te com alegria ao AGORA
Não há nada tão mais importante
Observa-o e vive-o hora a hora
Sentirás a Vida Inteira empolgante



Temos tido alguma dificuldade em estar nos blogues mais vezes pois a ãe da Isabel est+a acamada há quase dois anos o que nos retira muito tempo e energia.

Mas vamos tentar estar mais vezes.

Se nos quiser visitar também será bem vinda.

UM ano de 2012 cheio de momentos felizes.

Um abraço

José António

Silmara C. disse...

Um feliz 2012 pra voce. Adorei seu blog. Parabens.

arquitetura do imóvel disse...

Olá, Regina.
Vim conhecer teu blog e adorei a poesia...obrigada pela visita,seja bem vinda.
Bjos.
Sílvia

Related Posts with Thumbnails