Em cada olhar, o infinito


Fico Consciente da sua bela imagem
Quando vejo o sol despontando no horizonte
Como contas de cristais a me cegar
E a luz que entra por esta janela
Faz toda minha coragem despertar


Mergulhado em pequenas porções
O sentimento nosso, de cada dia
De cada olhar, o mais bonito
De todo o amor, o mais polido


E o tempo que me transpassa
Alcança com suas mãos trêmulas
Em cada pequeno gesto, o infinito.

4 comentários:

Brecho do Carioca disse...

muito bom, parabéns. estou sempre por aki, hj resolvi comentar.
abs
luiz

meriam disse...

Querida, parabéns pela alma amorosa, um brinde a poesia que você faz do dia-a-dia. Nossa metade folhagem que nos faz suportar a nudez de desertos diários.
Coloquei no Recanto das Letras um recadinho, simples e de coração, para todos que se atrevem a brincar poesia.

Um brinde!

Meriam


http://recantodasletras.uol.com.br/sonetos/900583

Feänor disse...

Seus poemas são sempre alentos pra minha mente conturbada; um fôlego de doce esperança no sentimento puro do amor destilado...

Como sempre, gosto da cadência de suas palavras. "Suave" me veio à mente enquanto eu lia - como um cobertor recém-devolvido da lavanderia.

Espero que esteja tudo bem por aí... Mas imagino que esteja muito ocupada.

Bjs!

Esther disse...

Que doce prazer conhecer seu blog!!

Esse é o tipo de caloria que não abro mão, me deliciar com palavras suaves..

Feliz de encontrá-la nessa curva do caminho,

como diz Fitzgerald: "É possível acariciar pessoas com palavras"


saudações poéticas :o)

Related Posts with Thumbnails