Ciranda dos Ventos


A vida de tão incoerente dói,
De tanto estremecer, destrói
De tanto persistir, corrói

Contínua dança em ciranda
Dos tempos idos e vindos
Do tamanho do instante vivido


A vida vem com o vento
Brisas ou tempestades
E no seu incansável girar
Suporta em seus largos braços,
O presente e o futuro
De quem verdadeiramente ousar viver!

Um comentário:

luma disse...

Lembrei de Guimarães Rosa, dizendo que a vida é um estica e puxa. Beijus

Related Posts with Thumbnails