Varanda

Moça na Janela - Salvador Dalí


Debruçada sobre a pedra
Que sustenta a imensa varanda
Vejo nuvens de lembranças
Onde ao amanhecer
Formam a densa neblina

Paisagens se vão
Carregadas pelos ventos fortes
Que o tempo nos impõe...
Corredores de imagens
Que vida afora
Se formam como quadros na parede

Folhas desgarradas formam outras árvores
Reaproveitando tudo
O que, antes, já foi criado

Depois da ventania
Encontro sua mão
E o que fica a partir de então,
É o mistério alegre e triste
De quem chega e quem parte.








4 comentários:

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Gostei de ler :)

O Profeta disse...

E parto no embalo do fim do dia
Não levo bagagem para o viver dos sonhos
Levo apenas esta força imensa
Que ofusca até os seres bisonhos

São tantos os caminhos que percorro 
Neste infinito mágico há algo que senti
O deslumbramento preso a um sorriso
Gerado no...Feitiço que há em Ti...


Doce beijo

Cris Caetano disse...

Há sempre encontros e despedidas. Eu gostaria que a vida fosse um eterno encontro.

Beijinhos

εїз ViViAn ★ Sbrussi /(",)\ disse...

oieee Maria Regina!
td certinho?

vim agradecer por vc me seguir!
fiquei super feliz!
obrigada!

=D

Related Posts with Thumbnails