Metáforas



Como um barco à deriva
Sem nenhum porto
Naveguei pela vida


Refletida nos rostos alheios
Minha imagem ví
Em todos que encontrava


As finas cortinas do meu quarto
Não escondem o dia, nem a noite
Porque gosto de saber
Quando estou na claridade
E quando estou na escuridão


Metáforas me atingem como um raio silencioso
Posso ver apenas a luz
Sem ouvir os estrondos que me assustam


É como brincar de dizer
No esconde-esconde de palavras.
Geralmente as pessoas sempre sabem
O que seus ouvidos
Gostam de ouvir...

4 comentários:

Cristina disse...

Que Lindo!!!

Precisamos de um porto para descansar da viagem...ele pode ser um abraço amigo,uma palavra de esperança,uma mão caridosa...
Como é bom te visitar!!!

Um grande beijo

Abner, disse...

mas a melhor coisa é navegar pela vida. Saber que atracaremos em algum lugar deve ser apenas um pensamento vago. Digo isso, mas se queres dizer que temos q ter os pés no chão, então devemos atracar sempre, navegar pela vida é preciso.

beijos!

Jaque*Sampaio disse...

Maravilhoso.:)

Luma Rosa disse...

Sim! "Os olhos podem ver aquilo que o coração sente" ou seria "Aquilo que os olhos não podem ver, o coração não sente" - Prefiro a primeira! :) Beijus,

Related Posts with Thumbnails