Primeiros Passos



Vincent Van Gogh - First Steps

Sobre a ponte amarela
Descansa meus sonhos
Nos primeiros passos
Os mais secretos desejos

Perto ou longe
Na terra a se arar
Sementes já brotam
Manifestando a ânsia de viver

Meus versos tão pessoais nascem aqui
No solo da vida da qual me inseri
Minhas palavras
São os rastros que deixo

Delas partem o sentimento puro
Delas nascem o giro do mundo

No sol que me habita
No céu que me amplia
No calor que me alimenta
No afeto que me sustenta




5 comentários:

Ana Lúcia Porto disse...

E eis que as palavras são vivas porque são impregnadas de vida. Elas são o espelho da alma. Gostei.
Beijos,

Anônimo disse...

Achei linda está última poesia. Adorei ler está e muitas outras, elas transmitem paz...
Continue sempre escrevendo, pois você tem um lindo taleto.

Flávio

O Profeta disse...

Sonhei
Com mares, com uma longa travessia
Desfraldei uma vela alva
Naveguei na chegada, na partida morria

Sonhei que era um cavaleiro andante
Por dias de inquietante perdura
Avistei um vagabundo num espelho de água
Era a minha alma talhada em pedra fria e dura

E fui criança de esvoaçante riso
Pássaro embriagado pela cor
Busquei em gestos enlouquecidos
Aquilo que pensava ser o amor

Doce beijo

Maria disse...

Um poema lindo, um cantinho maravilhoso. Adorei e vou acompanhar com muito prazer.
Tenha um maravilhoso Domingo e uma excelente semana.
bjs do tamanho do infinito
Maria

jefhcardoso disse...

Maria Regina, Van Gogh é um dos meus preferidos.
Sim, quando escrevemos poesia somos intimistas, nos expomos para quem nos leia. É mesmo uma experiência fantástica. Parabéns, Maria Regina, e um abraço!

“Para o legítimo sonhador não há sonho frustrado, mas sim sonho em curso” (Jefhcardoso)

Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com

Related Posts with Thumbnails