A Borboleta Azul



Certa vez , me disseram, que eu tinha muita imaginação. Na época levei isto como uma crítica não construtiva, mas agora olhando bem, posso admitir que esta é a minha melhor faceta.
Imaginar nos leva longe demais, tão longe que acabamos por descobrir terras ainda não habitadas. A imaginação me trouxe até aqui...
Certo dia uma linda borboleta azul pousou no meu ombro. Fiquei pasma com tamanha audácia, mas deixei-a ali, aproveitando-me de sua rara companhia.
De súbito, saiu a bater suas frágeis asas. O seu azul foi um convite a lhe acompanhar, e a segui pelo caminho que iria dar num abismo.
Olhei para baixo e a altura me fez tontear... Mas a borboleta azul não se intimidou e seguiu com o seu voar por aquela imensidão!
Com a coragem e alegria de viver que nos invade de vez em quando, me lancei de braços abertos tal qual aquela borboleta!
Ah! Que surpresa a minha!
Descobrí naquele impulso, que se lançar num espaço vazio, era como usar a imaginação e eu também podia voar !
Voar como uma borboleta azul!

Um comentário:

Arlanza disse...

Oi Regina que excelente escritora e poetisa vc vem se revelando..Adoro todos os seus poemas...Parabéns!!!Beijinhossss...... Arlanza....

Related Posts with Thumbnails