Livre


Sem correntes;
despedi-me de conclusões.
Sem algemas;
desisti de soluções.
Saí por onde entrei!
Singelos e manifestos,
sem água, sem mágoa,
sem tranças....
Com a respiração suspensa,
na ponte que une terras imensas,
saio por onde entrei!
Abro os braços
para sentir o tamanho da liberdade!
Abro um sorriso ,
para medir a plenitude da felicidade!
Livre de impressões,
saio por onde entrei!

Um comentário:

Flávio disse...

Achei lindo este poema. Como fico orgulhoso de ver que a cada dia sua poesia vem se aprimorando mais. É sinal de amor, de vida, de paixão pelas palavras.

Related Posts with Thumbnails